Eligio Rodriguez Dominguez ( Grou, Lobios , 04 de janeiro de 1910 – México , 09 de julho de 2007 ) foi um intelectual e político espanhol orientação galega . Ele permaneceu no exílio durante a ditadura de Franco e obteve a nacionalidade do México em 1939 .

Seu professor, Xosé Taibo, que começou na Galiza , quando ele ainda era uma criança. Mais tarde, estudou com o Irmãos Maristas em Venta de Baños ( 1920 ) e Tuy . Apesar da expulsão que padeceu nesta cidade, tem a admissão Marista Orense . Durante a República foi o fundador do Galeguistas Mocedades (juventude do Partido Galeguista ) de Bande e qualificado como piloto na Escola de Aviação.

Preso pela Guardia Civil no início da Guerra Civil , ele passou dois meses na prisão no Convento de Celanova , qualificada como uma prisão, conseguiu evitar o “passeio” o exercício da Legião .Ele passou algum tempo em trabalho administrativo em Cáceres até entrar a arma da aviação esperando para ir para a zona republicana. Foi postado como um capitão em León e no pequeno aeródromo Navia ( Coaña ) em fevereiro de 1937, ingressou na Legião Condor . No mês seguinte, ele conseguiu escapar em um Breguet XIX para Gibraltar e ir para a zona republicana.

Uma vez em território republicano, foi designado para a base de San Javier em Murcia, contudo foi preso e condenado à morte sob a acusação de espionar para o inimigo. Graças à intervenção decastas galegos e outros membros que moram em Valência foi conseguida anulação do acórdão e segurando um novo julgamento, no qual foi absolvido. Ele passou o resto da guerra emBarcelona no comando da aviação e como intendente secretário-geral da Solidariedade galego Antifeixista até a queda da Catalunha teve que ir para a França, deixando o país no navio Ipanemapara Veracruz , onde chegou em 13 de julho de 1939, aceita a proposta de as autoridades mexicanas a adotar a cidadania mexicana e estabelecer residência na Cidade do México como empresário e distribuidor.

Ele perdeu, contudo o espírito galego, mantendo participação no Partido Galeguista no exílio. Ele foi um dos promotores em 1952 e orador do programa de rádio semanal em galego galego tempo , emitido pela primeira vez na estação e depois XMEC Cadeia Rádio Continental. Em 29 de junho de 1953 participou da criação do Conselho de Cultura Galega, para os quais ele era um delegado para o Congresso da emigração galega em 1965, em Santiago de Compostela é a única a ler a sua comunicação em galego. Ele também participou da criação da revista Vieiros , dirigido porCarlos Velo .

Em 1994 ele publicou em Xerais Edicions memórias Matádeo maná memórias aviador dun Galeguista EO guerra republicano entra exílio ( ISBN 9788475078342 ).

Advertisements