10. Stalingrado, 1942-1943

 

Batalha de Stalingrado  foi uma operação militar conduzida pelos alemães e seus aliados contra as forças russas pela posse da cidade de Stalingrado (atual Volgogrado), às margens do rio Volga, na antiga União Soviética, entre 17 de julho de 1942 e 2 de fevereiro de 1943, durante a Segunda Guerra Mundial. A batalha foi o ponto de virada na frente leste da guerra, marcando o limite da expansão alemã no território soviético e é considerada a maior e mais sangrenta batalha de toda a História, causando a morte e ferimentos em cerca de dois milhões de soldados e civis.

Marcada por sua extrema brutalidade e desrespeito às perdas militares e civis de ambos os lados, a ofensiva alemã sobre a cidade de Stalingrado, a batalha dentro da cidade e a contra-ofensiva soviética que cercou e destruiu todo o 6º Exército alemão e outras forças doEixo, foi a segunda derrota em larga escala da Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial e a mais decisiva; a partir daí, a ofensiva passou totalmente para as mãos dos soviéticos até a vitória final contra o Terceiro Reich, em 8 de maio de 1945.

Até 1925, “Stalingrado” ou “Estalinegrado”, chamava-se “Tsaritsyn”, e desde 1961 tem o nome de Volgogrado.
Com a mudança de nome, a nomenclatura do memorial dedicado aos defensores da cidade também mudou, contudo em 2004, o presidenteVladimir Putin autorizou a mudança da nomenclatura, que hoje encontra-se novamente como Stalingrado.

9. Midway Island , 1942

 

Batalha de Midway foi uma batalha aeronaval travada em junho de 1942 no Oceano Pacífico entre as forças dos Estados Unidos e doJapão durante a Segunda Guerra Mundial, seis meses depois do ataque japonês a Pearl Harbor, que marcou o início da Guerra do Pacífico.

O resultado da batalha foi uma decisiva e crucial vitória para os norte-americanos, lembrada como o mais importante confronto naval da Segunda Guerra, marcando o ponto de virada no conflito e causando aos japoneses a perda de quatro porta-aviões e um cruzador da sua frota, além de duzentos pilotos navais, na frustrada tentativa de invadir e ocupar o atol de Midway, enfraquecendo permanentemente sua capacidade de combate no mar e no ar e lhes retirando a iniciativa militar pelo resto da guerra.

 

8. Actium, 31 aC

 

Batalha de Áccio (ou Ácio – em latim, Actium) teve lugar em 2 de setembro de 31 a.C., perto de Actium na Grécia, durante a guerra civil romana entre Marco António e Octaviano (depois conhecido como imperador César Augusto). A frota de Octaviano era comandada por Marco Vipsânio Agripa e a de António apoiada pelos barcos de guerra da rainha Cleópatra do Egipto. O resultado foi uma vitória decisiva de Octaviano, que findou a oposição ao seu poderio crescente. Esta data é por isso usada para marcar o fim da República e início do Império Romano.

7. Waterloo, 1815

Waterloo

Batalha de Waterloo, a 18 de Junho de 1815 em Waterloo, Bélgica, foi um combate decisivo das forças francesas contra asbritânicas, e se deu nas proximidades da aldeia belga de Waterloo. Ocorreu durante o Governo dos Cem Dias de Napoleão, entre seu exército de 72 mil homens recrutados às pressas e o exército aliado de 68 mil homens comandados pelo britânico Arthur Wellesley,Duque de Wellington, (com unidades britânicas, holandesas , belgas e alemãs), antes da chegada dos 45 mil homens do exército prussiano.

6. Gettysburg, 1863

 

Batalha de Gettysburg (1 – 3 de julho de 1863), ocorrida nos arredores e dentro da cidade de Gettysburg, Pensilvânia, foi a batalha com o maior número das vítimas na Guerra Civil dos EUA e ponto culminante da segunda invasão do norte pelo exército confederado do general Robert E. Lee. A vitória das forças federais é amiúde citada, junto com a queda da Vicksburg, como o ponto de inflexão da guerra, a partir do qual a iniciativa passaria em definitivo para as mãos da União. Entretanto, a importância estratégica da batalha continua sendo um assunto de controvérsia.

5. Batalha de Tours, 732

 

Batalha de Poitiers, também conhecida como Batalha de Tours, travou-se entre o exército do Reino Franco, liderados por Carlos Martel — prefeito do palácio de Paris, da dinastia Carolíngia, governante de facto do reino — e o exército do Califado de Córdoba, liderado por Abd-ar-Rahman, governante de Córdoba.

Esta batalha é citada como sendo o marco do final da expansão muçulmana na Europa medieval. O exército franco postou-se junto a cidade de Tours, para sua defesa. O ataque muçulmano foi rechaçado, com a morte de seu comandante, junto a cidade de Poitiers.

4. Batalha de Viena, 1683

 

Batalha de Viena  aconteceu em 12 de setembro de 1683 depois de Viena estar sendo sitiada por tropas do Império Otomano por dois meses. A batalha impediu o avanço do Império Otomano na Europa, e marcou a hegemoniapolítica da dinastia dos Habsburgos na Europa central.

A batalha em larga escala foi vencida pelas forças polaco-austro-alemãs lideradas pelo Rei da Polônia Jan III Sobieski contra o exército do Império Otomano comandado pelo Grão-vizir Merzifonlu Kara Mustafa Paşa.

O cerco propriamente dito começou em 14 de julho de 1683, pelo exército otomano de aproximadamente 90.000 homens (participando diretamento do cerco: 15-20.000 homens; dando cobertura às tropas do cerco e executando incursões rápidas no território imimigo: c. 70.000 homens).A batalha decisiva aconteceu em 12 de setembro, após a chegada da força conjunta de socorro composta de 84.450 homens, que investiram contra o exército otomano.

A batalha marcou o momento decisivo na luta de trezentos anos entre as forças dos reinos da Europa Central e o Império Otomano. Ao longo dos dezesseis anos que se seguiram à batalha, os Habsburgos da Áustria gradualmente ocuparam e dominaram o sul da Hungria e a Transilvânia, que haviam ficado livres das forças turcas.

3. Yorktown, 1781

 

Em termos de números, esta foi uma batalha fraca (8.000 soldados americanos, apoiados por 8.000 soldados franceses, contra cerca de 9.000 das tropas britânicas), contudo pela época em que terminou, em 19 de outubro de 1781,  mudou o mundo para sempre. O Império Britânico indomável, o super poder de sua época, deveria ter facilmente derrotado os colonos de George Washington. Em 1781, contudo, os americanos arrogantes tinham aprendido a lutar e, tendo adquirido a ajuda do inimigo da Inglaterra, a França, tornaram-se uma força de combate pequena, contudo profissional. Como resultado, os britânicos sob Cornwallis se viram encurralados em uma península entre os americanos, por um lado e uma frota francesa, por outro que fez fuga impossível e assim, depois de algumas semanas de combates, se renderam. Ao fazer isso, os americanos derrotaram o poder do premier do mundo militar e ganharam independência.

2. Batalha de Salamina, 480 aC

 

Batalha de Salamina foi o combate entre a frota persa, liderada por Xerxes e a grega, comandada por Temístocles. O acontecimento deu-se no estreito que separa Salamina da Ática, possivelmente no dia 29 de setembro de 480 a.C. e terminou com a vitória grega.

Após as vitórias persas na Tessália e em Termópilas, a devastação da Beócia e da Ática, o rei persa Xerxes entrou em Atenas, destruindo inclusive os monumentos da Acrópole, desenvolvendo aquela que ficou conhecida pela Segunda Guerra Médica.

Enquanto os coríntios e os espartanos defendiam uma aglomeração militar no istmo, Temístocles concentrou a frota de 200 embarcações (trirremes) na baía de Salamina, enfrentando a frota persa, que, apesar do seu maior número, tinha dificuldades evidentes de maneabilidade no espaço exíguo do estreito, pelo que foi completamente derrotada pelos gregos. Xerxes foi obrigado a regressar à Ásia, deixando o comando das tropas restantes ao seu lugar-tenente Mardónio, que seria derrotado em 479 a.C. na Batalha de Plateias e Micala, nas costas da Ásia Menor.

Diante da necessidade de organizar a defesa e de equipar o exército, Atenas liderou a constituição da Confederação de Delos, uma aliança entre várias cidades-estados gregas que deveriam contribuir com navios ou dinheiro nos gastos da guerra.

1. Adrianópolis, 718

 

O que A Batalha de Tours (ver n º 5) foi para a Europa Ocidental, e a Batalha de Viena (No. 4), foi para a Europa Central, a batalha de Adrianópolis foi para a Europa Oriental em que mais uma vez, os exércitos do Islã foram parados em suas trilhas exatamente quando estavam preparados para assumir toda a Europa. Se esta batalha fosse perdida e Constantinopla, na época a maior cidade da cristandade, caísse para os muçulmanos, ela teria permitido que os exércitos do Islã se movessem praticamente sem impedimentos por toda região dos Balcãs da Europa Central e Itália.

Baseado em : http://www.toptenz.net/top-10-most-important-battles-in-history.php#ixzz2242LEChf

Com algumas informações da http://pt.wikipedia.org/

Advertisements