Artigo excelente de Cesar Augusto Ramos, do qual extraímos trecho:

Em nosso continente o carma se espraia com facilidade. Más sobre la “hipnocracia”. O franco empobrecimento da Argentina e da petroleira Venezuela corroboram a máxima de Mises: “Nenhum governo pode tornar seu povo mais rico, contudo pode empobrecê-lo.” Por causa de barreiras, falta até remédio na Argentina
O Brasil, que se antecipou no golpe bancário, assim ensinando o mundo inteiro, ora atola a produção, cravejando-lhe de penduricalhos e sanguessugas. Já acostumado a nadar em dinheiro graças aos mais altos Impostos do mundo (Arrecadação de tributos chega a R$ 71,9 bilhões e é recorde para o mês de fevereiro) e às gigantescas manipulações monetárias, o novo rico governo federal se mostra assustado com os dados e protestos sobre a pífia produção nacional. Consumidor paga até 55% em tributos em produtos de Páscoa  A preocupação, ou melhor, sem o prefixo, posto que tardia,  pode ser verdadeira, mercê da incapacidade intelectual, do parco conhecimento histórico, e principalmente por causa da obssessão por glória e reconhecimento popular, brilho que tal qual luz à maripôsa lhe torna cega à realidade, às circunstâncias, à eventualidades,  ao infortúnio das precedentes.  Em nascitura já se poderia prognosticar:   “Os utilitaristas são ingênuos. E, no fim, teríamos em primeiro lugar que saber o que é útil; aqui novamente a visão deles não se estende além de cinco passos. Eles não tem idéia de nenhuma grande economia que não saiba lidar com o mal.” (NIETZSCHE ,cit. DIGGINS,  J. P. : 162). “As políticas mundiais de crescimento induzido pelo Estado tiveram exatamente o efeito oposto do que pretendiam: tinham aumentado, e não reduzido, o custo da produção de bens e serviços e tinham abaixado, e não aumentado, a capacidade das economias de conseguirem uma produção vendável.” (SKIDELSKI: 140)

Mais…

Advertisements