Adaptada a um novo conceito, a arte circense se reinventa a cada dia para encantar crianças e adultos, dentro ou fora dos picadeiros. Quem quiser aprender habilidades de malabaristas, palhaços e acrobatas pode participar de oficinas de circo na Casa das Máquinas, na Lagoa da Conceição. A iniciativa é uma parceria entre a Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC) e o “Projeto Encontro de Malabares e Circo”, que reúne grupos de artistas de rua da Capital.

As oficinas são gratuitas, com aulas nas terças e quartas-feiras, contando com três turmas divididas por nível: iniciante 1(crianças acima de 9 anos), iniciante 2 e avançado (adolescentes e adultos). Em cada categoria os alunos aprendem a utilizar diferentes materiais como colchão, bolinhas, clavas, monociclo, diabolô, bastões, trapézio, tecido, corda bamba e pernas-de-pau.

O treinamento envolve preparação física, por meio de exercícios aeróbicos e de alongamento para melhorar a habilidade corporal. Inclui também o aprimoramento da concentração, paciência e disciplina; desenvolvimento da coordenação motora, força e equilíbrio; e o ensino de técnicas para a prática do malabarismo, acrobacias de solo e aéreas, pirâmides humanas e outras artes circenses, envolvendo ainda jogos teatrais, músicas e exercícios cômicos.

Cultura circense

 

O projeto “Encontro de Malabares e Circo” foi criado em 2003 por pessoas apaixonadas por essa arte milenar. Para exercitar novas técnicas e trocar experiências com outros grupos de artistas, os participantes começaram a se reunir na pracinha da Lagoa da Conceição. Mas, em dias de chuva, vento ou muito frio, as atividades ao ar livre acabavam prejudicadas, especialmente as acrobacias que eram limitadas também pela irregularidade do piso.

Com o apoio da FCFFC, os grupos estão se reunindo desde o início de setembro na Casa das Máquinas – Espaço de Artes, local onde agora são realizadas as oficinas. “A gente conseguiu um espaço apropriado para reunir as pessoas, sem o problema da chuva. E a localização é ótima”, avalia Daniel Terra, integrante do grupo Circo da Mata e um dos coordenadores do projeto.

Para a coordenadora geral da Fundação Franklin Cascaes, Roseli Pereira, a parceria contribui para valorizar a arte circense como expressão artística, fortalecendo a cultura popular e abrindo espaço para diferentes linguagens. A ideia, segundo ela, é promover no final do ano um espetáculo para a comunidade, com a participação de alunos e dos artistas. Se a proposta for bem aceita, os planos podem ser ainda mais ambiciosos. “Estudamos a possibilidade de criar uma escola de circo para atender crianças e adolescentes do município com atividades lúdicas de caráter pedagógico, e que a garotada adora”, finaliza a arte-educadora.

Serviço:

 

O Quê: Oficina de Circo

Quando: Terça-feira – das 14h30 às 16h – Iniciante 1 (crianças acima de 9 anos)
Terça-feira – das 16h30 às 18h30 – Iniciante 2 (adolescentes e adultos)
Quarta-feira – das 9h às 12h – Avançado (adolescentes e adultos)

Onde: Casa das Máquinas – Espaço de Artes
Em frente à Praça Bento Silvério – Lagoa da Conceição
(48) 3232-1514

Quanto: gratuito

 

galeria de imagens

 

  • Diversão e arte para a garotada

 

 

 

  • Acrobacias aéreas

 

 

 

  • Arte dos malabares já era conhecida no antigo Egito 4.000 anos A.C

 

 

 

  • Equilí­brio no monociclo

 

 

 

Advertisements