Principalmente em época de férias, o céu de Florianópolis se colore ainda mais com as pipas. Mas junto com elas, vem o potencial de acidentes. Os maiores perigos são os cortes causados pelas linhas, sendo os motociclistas as principais vítimas. O pescoço é a parte mais atingida, principalmente devido à falta de proteção. Pensando nisso, a Prefeitura da Capital instituiu na rede municipal a Semana de Prevenção de Acidentes com Pipas. A lei, assinada no último dia 21, visa orientar os alunos e professores sobre os perigos do cerol.

A Secretaria de Educação estabeleceu a semana para o mês de maio, onde realizará um Festival de Pipas sem Cerol para conscientizar a população. A SME já realiza um trabalho de alerta sobre os perigos do cerol e do modo correto da utilização de pipas, coordenado pelo professor Charles Schnorr.

A brincadeira, que encanta a criançada, traz inúmeros potencials devido aa utilização do cerol. O preparo é uma mescla de cola com caco de vidro moído que é aplicado às linhas de pipas com o intuito de cortar a pandorga adversária. O saldo é que no final dessas brincadeiras, acabam sendo deixados pelas ruas pedaços de linhas que são praticamente invisíveis aos olhos de quem trafega conduzindo motos. Além disso, segundo dados da Celesc, as pipas são responsáveis por 70% dos inconvenientes na rede elétrica provocados por intervenção humana.
                                                                         

                                                                          Ricardo Medeiros


Advertisements