De uma meta de 99.292 pessoas, apenas 53.378 foram vacinadas, o que corresponde a 53,76% de cobertura, ou seja, 46,24% desse público-alvo continuam sem proteção contra a doença. É para esse público que a Fundação Municipal de Saúde (FMS), da Prefeitura de Teresina, alerta para o fim do prazo da campanha, hoje, dia 13.

O presidente da FMS, Pedro Leopoldino, faz um apelo para os segmentos contemplados pela campanha para que não percam essa oportunidade de se proteger contra a gripe e todos os agravos que decorrem da doença. “A vacina é de graça e eficaz, protege as crianças, os maiores de 60 anos e gestantes, portanto, se querem bem a própria saúde, é o momento de todas essas pessoas buscarem as salas de vacina e os postos volantes disponibilizados pela Prefeitura de Teresina”, enfatiza o presidente.

Os últimos dados divulgados pela FMS revelam que a cobertura necessita ser ampliada em todos os segmentos. Entre as crianças de seis meses a dois anos, foram vacinadas apenas 10.999, até esta quarta-feira (11), o que corresponde a 52,2% da meta, que é de 21.070, “Mais de 10 mil crianças ainda não se vacinaram e os pais têm grande responsabilidade sobre isso, porque elas não vão sozinhas ao local de vacina; precisam ser levadas. Então, entendemos que está havendo omissão dos pais ou responsáveis no sentido de proteger seus filhos”, reclama Pedro Leopoldino.

Das 13.440 gestantes que devem ser vacinadas, apenas 4.516 foram imunizadas até agora (33,6%), faltando ainda quase nove mil mulheres buscarem as salas de vacina. “Advertimos que as gestantes estão incluídas no grupo de potencial para a influenza, por isso não devem perder essa oportunidade de se vacinarem”, sublinha o presidente da FMS. Sobre o segmento a partir dos 60 anos, até esta quarta-feira, faltavam se vacinar 20.254 pessoas. Contudo, é o grupo de maior cobertura até agora, considerando que a meta é vacinar 54.349 e foram imunizadas 34.098 (62,74%).

“De qualquer forma, precisamos ampliar a cobertura em todos esses segmentos, até mesmo entre os trabalhadores da saúde que atuam nas áreas de urgência e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) dos hospitais de emergência e de referência para a gripe, tanto públicos como particulares”, frisa o presidente. Nesse grupo, apenas 3.765 trabalhadores se vacinaram (36.09%), faltando ainda 6.668 pessoas.

A vacina está acessível em todas as salas de vacinação dos centros de saúde da capital e nos hospitais da rede pública de saúde

 

Advertisements