Trabalhadores, diabéticos, crianças com inconvenientes neurológicos e pessoas que desejam largar o vício do cigarro agora encontram todos esses serviços no Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo. Durante o ano de 2012, o Lineu Araújo passou por melhorias pontuais e atualmente disponibiliza o ambulatório do trabalhador no horário da noite, programa de tratamento do tabagismo, mutirão neuropediátrico, ambulatório de feridas e do pé diabético.

O tratamento do tabagismo disponibiliza grupos estabelecidos por 15 pessoas que recebem um manual com todas as informações sobre os males da nicotina, seus efeitos e as medidas que devem ser adotadas para se livrar do vício, elaborado pelo Ministério da Saúde e participam de encontros com orientações sobre como largar o vício, bem como acompanhamento individual do médico e psicólogo.

De acordo com o diretor clínico do Lineu Araújo, Samuel Rego, o único requisito para entrar no grupo é a voluntariedade dos participantes. “Para fazer o tratamento, basta o interessado exibir a vontade de parar de fumar e dirigir-se ao Lineu Araújo deixando nome e sobrenome, que nós entramos em contato quando da abertura de vagas”, conclui Samuel Rego.

Já o Ambulatório de Feridas e Pé Diabético começou a funcionar em novembro deste ano e é o pioneiro em Teresina, se tornando, inclusive, uma referencia na área de cuidados com os pacientes diabéticos. O serviço vai evitar que muitos diabéticos tenham os membros inferiores amputados, como informa o cirurgião vascular do Lineu Araújo, Valrian Campos Feitosa. “O principal fator para o número de casos de amputação é a falta de constatação, depois falta de pessoal capacitado para tratar do diabético. Com o ambulatório, os pacientes passam a ter constatação e atendimento especializado, evitando esse tipo de procedimento”, falou o medico.

Outra atividade realizada periodicamente pelo Lineu Araújo é o Mutirão da Neuropediatria. Quinzenalmente, as crianças que apresentam inconvenientes neurológicos como polineuropatias, epilepsia, convulsão, tumoração e macrocefalia e que estão na fila por atendimento, são consultadas e encaminhadas para a realização de exames, conforme a necessidade.

De acordo com José Ferreira Neto, coordenador da Regional Norte, a intenção da realização dos atendimentos se dá em virtude da grande demanda de consultas neurológicas em Teresina. Os mutirões estão sendo realizados desde julho deste ano e já foram realizados mais de 580 atendimentos.

Advertisements