A taxa de desocupaçãoapurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quinta-feira, 22, teve ligeira redução, em outubro, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). A taxa que em setembro era de 4% caiu para 3,9% em outubro.

Entre as seis regiões metropolitanas brasileiras pesquisadas, Belo Horizonte e São Paulo foram as únicas que exibiram, em outubro,redução na taxa de desocupação (que representa aquela pessoa que não trabalhou, contudo procurou emprego nos últimos trintas dias antes da entrevista).

Segundo o IBGE, a taxa ficou em 5,3%, a mais baixa desde o início da série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego, em 2002. Em setembro, a taxa de desocupação total do país tinha ficado em 5,4%.

O rendimento médio real dos trabalhadores no Brasil registrou variação positiva de 0,3% em outubro ante setembro e crescimento de 4,6% na comparação com outubro de 2011.

Ainda segundo o IBGE, a massa de renda real habitual dos ocupados no país somou R$ 42,2 bilhões em outubro, um crescimento de 1,6% em relação a setembro. Na comparação com outubro de 2011, a massa cresceu 7,9%.

O rendimento médio real dos trabalhadores em outubro foi de R$ 1.787,70, contra R$ 1.782,68 em setembro.

O coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, explica que é normal que o número de pessoas procurando trabalho aumente em algumas regiões nesta época do ano, em virtude do surgimento de vagas temporárias.

Para o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo, a expectativa é que a taxa se mantenha baixa ou caia ainda mais nos próximos meses. “Não poderíamos prever melhores resultados na RMBH. Sabemos que taxa zero é impossível, pois temos a rotatividade natural do mercado, temos pessoas que param de trabalhar para aumentar a apreciação ou outras para cuidar da família. Mas ainda queremos melhorar os números e estamos trabalhando para que Minas seja referência na geração de empregos no Brasil. Estamos com as menores taxas de desemprego entre as regiões metropolitanas, contudo também com excelentes índices na comparação estadual. Vamos continuar priorizando o emprego e a geração de renda no Estado”, ressalta o secretário.

 

Advertisements