Divulgação

Diego Ferreira foi uma das milhares de pessoas que se beneficiaram com os cursos dos CVTs

Diego Ferreira foi uma das milhares de pessoas que se beneficiaram com os cursos dos CVTs


O Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Patos de Minas, na região do Alto Paranaíba, oferece diversos cursos de capacitação para os moradores do município e região. Entre as qualificações oferecidas, se destacam a de atendimento ao cliente; AutoCAD; cadastro, crédito e cobrança; Corel Draw; criação de website; gestão de pessoas e atendimento ao cliente; informática básica; práticas administrativas; manutenção de computadores; noção de eletrônica básica e Photoshop.

Sempre atenta à agenda de capacitações do CVT de Patos de Minas, Marta Alves Coelho, 33 anos, já fez quatro cursos. “Estava desempregada e comecei a fazer o curso de vendas, buscando melhorar o meu conhecimento e me qualificar para o mercado de trabalho de maneira mais prática e eficaz,” conta Marta. Hoje, ela sustenta a família com o salário que recebe como agente de crédito em uma empresa da cidade.

De acordo com o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, levar conhecimento aos cidadãos é o caminho escolhido pelos Centros Vocacionais Tecnológicos de Minas Gerais. “O projeto, uma parceria do Governo do Estado com a Sectes, oferece cursos gratuitos de inclusão digital, apreciação e aperfeiçoamento, com aulas teóricas e práticas para todas as regiões mineiras. Há quatro anos, as regiões do Alto Paranaíba e Noroeste do Estado já ofertaram juntas mais de 850 cursos e certificaram um total de 11.500 alunos com os cursos presenciais e a distância”, complementa Narcio Rodrigues.

O projeto se consolidou em 2009 com a conclusão da implantação de 571 unidades interligadas em banda larga, representadas por 84 CVTs e 487 Telecentros, totalizando o investimento de R$ 130 milhões, provenientes do Governo de Minas e do Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio de emendas parlamentares.

Hoje, a rede conta 4.5 mil microcomputadores conectados, colocando Minas Gerais como o estado a possuir o maior programa de inclusão digital e social do país. Aproximadamente 700 mil alunos já foram certificados em cursos presenciais e a distância, nas áreas comportamentais, gerenciais e profissionalizantes.

Noroeste de Minas

Interessado em atender as demandas da sociedade local, o CVT de João Pinheiro, no Noroeste de Minas, oferece diferentes oportunidades por meio de qualificações e parcerias integradas com variadas entidades. Desde o começo da implantação do CVT, em 2009, mais de 3.700 pessoas se formaram pelos cursos de ensino a distância (EAD). Este ano, 650 alunos já se cadastraram para os cursos e uma das participantes foi Sirlei Couto, de 32 anos. A aluna se destacou nas aulas de corte, costura e modelagem, e atualmente presta serviços de facção para uma confecção local. “Meu marido estava desempregado e tive que pagar as contas com meu trabalho. Hoje ele voltou a trabalhar, contudo complemento a renda com o salário de costureira,” conta Sirlei.

O CVT de João Pinheiro desenvolve ainda curso de produção de peças de artesanato a partir do bagaço da cana-de-açúcar; preparatório para o Enem; administração de compras e vendas; corte para costura industrial; capacitação de conselheiros tutelares e conselho de direitos da criança e adolescente por meios dos CVTS, curso prático de lingerie etc.

Oportunidade e crescimento

A capacitação profissional não só dá condições para o exercício de profissões como também permite que as pessoas possam se preparar para o mercado competitivo, como é o caso de Diego Ferreira. Com 13 anos, o sonho dele era fazer um curso de informática no Centro Vocacional Tecnológico de Paracatu, Noroeste do Estado. “Não tinha computador em casa e muitas vezes precisava fazer trabalhos escolares e não sabia entrar na internet, digitar um texto, muito menos o que era Word e Excel”, relata o aluno. Interessado em aprender, Diego se matriculou em 2009 no primeiro curso de informática do centro, formando-se três meses depois.

Diego não se esqueceu de quem lhe deu uma oportunidade. Por três anos, após seu aprendizado ele foi voluntário nas aulas de informática contribuindo para que outros jovens, na mesma situação, também se alfabetizassem digitalmente. No ano passado ele teve coroado o seu esforço ao receber, aos 16 anos, uma proposta para trabalhar na empresa Via Embratel. Hoje, acumula esta função, com atividades como autônomo para formatação e manutenção de computadores.

Durante os oito anos de trabalho, a Rede CVT atendeu à demanda da sociedade por inclusão digital e aproximou áreas de governo e do conhecimento, por meio das salas de videoconferência. No entanto, a partir de 2012, a rede avança para a convergência digital, com novos conteúdos aplicados em web 2.0, atraindo um público que quer se qualificar ou se requalificar para o mercado de trabalho, contudo que quer, também, relacionar-se nas redes sociais. Além disso, a rede terá mais 20 pontos, em 20 localidades diferentes, totalizando 100 municípios atendidos. Para 2014, a meta é que todas as cidades mineiras com mais de 20 mil habitantes estejam conectadas à Rede CVT.

Advertisements