Cerca de dez mil visitantes em 55 municípios e distritos do Estado foram ouvidos em Pesquisa de Demanda Turística 2011 realizada pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur-MG), que constatou que o Circuito Caminhos do Cerrado, que abrange as cidades de Abadia dos Dourados, Cruzeiro da Fortaleza , Guimarânea, Patrocínio e Serra do Salitre, no Alto Paranaíba, se destacou como destino de turismo de negócios e eventos.

Dados da pesquisa apontam que 41,5% dos entrevistados visitaram o Circuito Caminhos do Cerrado para realizar negócios, ficando atrás apenas do Circuito Noroeste das Gerais, com 57,7%. Já para eventos, 21,4% foram motivados a visitar o Circuito, ocupando o terceiro lugar. Os Circuitos Mata Atlântica (40,7%) e Guimarães Rosa (25,5%) ocupam o primeiro e segundo lugares, respectivamente.

Outro dado importante da RAIS, levantados pelo Ministério do Trabalho e Emprego e apurados pela Setur-MG, são as taxas médias de crescimento anual do número de estabelecimentos e do número de empregados no setor do turismo, entre os anos de 2006 a 2010, onde a região do Alto Paranaíba aponta crescimento de 5,2% e 5,1%, respectivamente.

Para o secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, os números da pesquisa demonstram o crescimento da economia do turismo no Estado, especialmente na geração de receita e distribuição de renda. “Quanto maior é o gasto do turismo, maior é o benefício para a atividade e para toda a cadeia de prestação de serviços, que amplia seus negócios e seus ganhos de mercado. Devemos lembrar que Minas Gerais e o Brasil, a partir de agora, irão receber grandes eventos internacionais, o que poderá favorecer, ainda mais, o crescimento deste gasto médio e a permanência do visitante”, destaca.

Perfil

De acordo com a origem dos entrevistados na região, 62,7% eram visitantes de Minas Gerais. Os visitantes de São Paulo ficaram em segundo lugar com 15,2%, e Bahia com 6%. Já em todo o Estado 62,1% eram visitantes de Minas Gerais, seguido pelos visitantes de São Paulo (16,5%), Rio de Janeiro (7,7%), Bahia e Espírito Santo (ambos com 1,7%). Já os turistas internacionais foram responsáveis por 1,4% do fluxo no Estado.

Os visitantes permaneceram em média 4,7 dias no Alto Paranaíba, gastando em média R$ 400,00 por pessoa durante a viagem em 2011. Em Minas, os visitantes permaneceram, em média 5,4 dias nas viagens pelo Estado, com um valor de gasto médio por pessoa de R$ 538,56, superando em 62% os gastos de 2010 (R$ 332,21).

Mais da metade dos visitantes na região (56,3%) são homens na faixa etária de 21 a 30 anos (26,8%). A escolaridade que predomina é do nível médio (38,2%) e a média mensal da renda familiar é de R$ 1.020 a R$ 2.040. O ônibus rodoviário é primeira opção de transporte dos entrevistados (41,7%), seguido pelo veículo próprio (35%).

Em todo o Estado, segundo a RAIS, o número de estabelecimentos ligados à atividade turística subiu de 43.136 para 52.817, o que coloca o Estado em segundo lugar, atrás de São Paulo. Já o país possuía em 2006 379.647 estabelecimentos e chegou em 2010 com 452.435. Estes dados demonstram a taxa de crescimento do número de estabelecimentos que integram a cadeia produtiva do Turismo em Minas (22%) cresceu mais do que a média nacional (19%).

Advertisements