Caio Barroso

Para Dayane Jesus, doar sangue é um ato de solidariedade. Ela possui Sangue A Negativo, que é um dos mais difíceis de se encontrar na população

Para Dayane Jesus, doar sangue é um ato de solidariedade. Ela possui Sangue A Negativo, que é um dos mais difíceis de se encontrar na população


A Fundação Hemominas comemora 28 anos nesta quinta-feira (10). Formada por 24 unidades que funcionam em rede, a instituição é responsável por 90% das transfusões sanguíneas que se realizam no Estado de Minas Gerais e pelo atendimento de mais de 7 mil pacientes – portadores de doenças hereditárias do sangue – em 16 ambulatórios no Estado.

Além do tratamento com utilização de hemocomponentes e hemoderivados, a Hemominas garante aos seus pacientes acompanhamento com equipe multidisciplinar, formada por hematologista, ortopedista, fisiatra, infectologista, clínico, pediatra, dentista, fisioterapeuta, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos, farmacêuticos e pedagogos. Na busca constante pela qualidade de vida do paciente, os ambulatórios da Hemominas também investem em atividades lúdicas, como pintura, leitura de contos e brincadeiras.

“O bom acolhimento aumenta a autoestima do paciente. Com isso, ele se recupera mais rapidamente, aceita melhor o tratamento indicado e, consequentemente, melhora sua qualidade de vida. Trabalhamos para que os pacientes tenham um sangue de qualidade, por isso é fundamental o comparecimento do doador de sangue nas nossas unidades”, explica a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi.

Paciente da instituição e presidente da Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região (Dreminas), Maria Zenó Soares da Silva, reconhece o trabalho ambulatorial da Fundação. “Agradecemos à Hemominas pelo tratamento humanizado que a instituição nos oferece e pelo sangue de qualidade que recebemos. A Hemominas é o SUS que queremos e o SUS que precisamos”, afirma Zenó.

Gestão do conhecimento

A Fundação Hemominas também se consolida como referência no campo das pesquisas, principalmente nas áreas de hemoterapia, hematologia e biologia molecular. Em 2012, o Serviço de Pesquisa da Fundação recebeu 35 pedidos de projetos de pesquisa com participação da instituição, entre trabalhos de iniciação científica, especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado.

O responsável pelo Setor de Pesquisa, o biólogo Daniel Chaves, informa que os planos para a área de Pesquisa da Hemominas para 2013 incluem padronizar testes para diagnóstico de subtipos da Doença de von Willebrand (doença hemorrágica hereditária) como teste de ligação do Fator de von Willebrand ao Fator VIII e ligação do Fator de von Willebrand ao colágeno. “Estes procedimentos permitirão diagnosticar corretamente mais de 90% dos pacientes com a doença”, ressalta.

Outro projeto de pesquisa envolve os novos casos de hemofilias A e B do Hemocentro de Belo Horizonte. O projeto contará com a participação do Hemorio (Rio de Janeiro) e Hemepar (Paraná), que seguirão um protocolo definido pela Fundação Hemominas em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A Hemominas se preocupa também com a constituição de seus servidores. Em conjunto com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) até novembro de 2012, os servidores conseguiram 10 bolsas de especialização; 06 treinamentos especiais na Instituição; 06 cursos de aperfeiçoamento; 02 bolsas de Mestrado e 03 Estágios Técnicos-Científico no Exterior. Foram capacitados 69% dos servidores entre efetivos, contratados e à disposição.

Gestão e Produção de Hemocomponentes

A Fundação Hemominas investe continuamente na melhoria dos processos para fortalecer a segurança transfusional e a qualidade dos hemocomponentes oferecidos aos pacientes. Desde a sensibilização para a o ato voluntário da doação de sangue – com campanhas de mobilização e resultados de satisfação do cliente em torno de 96,4% para doadores e 94,4% para pacientes em 2012 – até a otimização de aplicação de recursos públicos nas rotinas laboratoriais, a Hemominas busca, a cada dia, a tecnologia mais adequada.

A centralização da sorologia de todas as coletas da rede estadual em Belo Horizonte, com logística delicada e realocação de profissionais; a implantação do NAT (Teste de Ácido Nucléico) na Hemominas pelo Ministério da Saúde; a implantação, em curso, do laboratório para teste HLA e do Centro de Tecidos Biológicos – Cetebio; o projeto inédito de implantação de posto de coleta de sangue em um shopping center na Zona Norte da Capital; o aprimoramento da relação entre pedidos de transfusão e adequação de hemocomponentes com a edição do manual “Hemoterapia – Condutas para a prática clínica”, oferecido, sem custos, aos médicos de Minas Gerais e acessível na internet, são alguns exemplos desta busca pela melhoria.

Na área da gestão, os servidores da Fundação Hemominas vem alcançando destaque no Prêmio de Excelência em Gestão da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag), como o 1° lugar em 2006 na Categoria Experiências e Iniciativas de Sucesso, com o trabalho “Projeto Hemocompras – a modernização das aquisições no’mbito da Fundação Hemominas”; e o 2º lugar em 2012, com o trabalho “Implantação de um posto de coleta de sangue da Fundação Hemominas no Shopping Estação BH”; entre outros.

Advertisements