A Fundação de Educação para o Trabalho (Utramig), vinculada à Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), realizou a formatura de 26 alunos do projeto Sistema de Educação Inclusiva (SEI), nos cursos de Dosvox, Virtual Vision e Informática Básica para estudantes com necessidades especiais visuais e auditivas.

A formanda Jordana Bragança Vianna, do curso de Informática Básica, comemorou o certificado. “Estou muito feliz com a formatura, pois aprender informática é fundamental para a profissão que pretendo seguir, o jornalismo. As pessoas que escutam ordinariamente tem mais oportunidade de participar de cursos e se desenvolverem profissionalmente, contudo nós, estudantes com necessidades especiais, estamos cada vez mais conquistando nossos lugares no mercado de trabalho”, comemora.

De acordo com o professor do curso de Informática Básica, Davidson Henrique Estanislao, existe uma alta demanda do mercado de trabalho de profissionais de diversos setores. “É imperativo que os estudantes com necessidades especiais tenham a constituição adequada para o desenvolvimento de um trabalho com qualidade e eficiência, por isso a importância dos cursos de inclusão profissional”, explica o professor. 

O presidente da Fundação Utramig, professor José Murilo Rezende, felicitou os formandos e ressaltou que, apesar das dificuldades, a formatura dos alunos é a prova de que as deficiências visuais e auditivas devem ser superadas para o desenvolvimento profissional e a consequente entrada no mercado de trabalho. “A Utramig acredita no potencial dos nossos alunos e reafirmamos o compromisso social de formar profissionais da mais alta qualidade para o mercado de trabalho”, destaca.

 Sistema de Educação Inclusiva

O Sistema de Educação Inclusiva é um projeto de apreciação profissional, totalmente gratuito, que visa oferecer aos alunos com necessidades especiais visuais e auditivas a oportunidade da inclusão no mundo digital. Os alunos com necessidades especiais visuais podem escolher entre os cursos de Dosvox ou Virtual Vision, programas que permitem a navegação por meio de áudio. Já os estudantes com necessidades especiais auditivas têm acesso ao curso de informática básica, com todas as aulas em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), viabilizando a inserção no mercado de trabalho.

Advertisements