Divulgação/Hemominas

Para Suzana Rodrigues, doar sangue é um ato simples que pode fazer a diferença na vida de alguém

Para Suzana Rodrigues, doar sangue é um ato simples que pode fazer a diferença na vida de alguém


No ano de 2012, a rede Hemominas realizou 219 coletas exteriores em todo o Estado, somando 16.374 doadores de sangue. A gerente de Coletas Externas da rede Hemominas, Deborah Carvalho, explicou que o desafio das coletas exteriores é manter a qualidade do sangue e a segurança do doador durante o processo. “As coletas exteriores são uma extensão das coletas internas, então o mesmo padrão de qualidade que possui uma coleta interna tem que ter na externa. Com isso, alcançamos um produto final de qualidade, independente do local onde é realizada a coleta de sangue”, afirmou.

A partir de 2005, o projeto de Coletas Externas da Fundação Hemominas consolidou-se na rotina das ações da instituição. As coletas exteriores são realizadas em empresas, instituições, associações de bairros, universidades e municípios, e são uma forma de facilitar o acesso do cidadão à doação de sangue, declarou Deborah Carvalho. “O mais importante é saber que a pessoa entendeu a mensagem. Se ela foi até o local de doação é porque percebeu a importância da doação de sangue”, afirma. Antes das coletas, técnicos da Hemominas realizam palestras para sensibilização dos envolvidos e esclarecimento de dúvidas em relação à doação, além de um planejamento e deslocamento da equipe médica e técnica.

Para que a coleta externa seja compensadora, é preciso, no mínimo, 50 candidatos à doação. Segundo Deborah Carvalho, a unidade da Hemominas de Ponte Nova, na Zona da Mata, realizou a coleta de maior sucesso deste ano. A atividade foi realizada na Universidade Federal de Viçosa, na qual estavam previstos 150 candidatos e compareceram 173.

Hemocentro de Belo Horizonte bate meta de coletas exteriores em 2012

O Hemocentro de Belo Horizonte realizou 64 coletas exteriores, contabilizando 3.669 candidatos. Desse número, 2.976 efetuaram a doação de sangue. Esse tipo de atividade ainda teve outro saldo positivo para a Hemominas: 1.875 pessoas puderam fazer a doação pela primeira vez.

Segundo a assistente social do Hemocentro de Belo Horizonte, Zélia Ottoni, a unidade conseguiu alcançar as metas de coletas exteriores, já que no ano passado o número foi de 58. “Tivemos a oportunidade de atender mais solicitações da comunidade e ajudar no estoque de sangue”, afirmou.

A última coleta realizada na capital mineira foi no dia 11 de dezembro, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), no campus de Engenharia, data em que foi comemorado o Dia do Engenheiro. Cerca de 50 pessoas realizaram a doação, entre estudantes e funcionários.

Para preparar a coleta externa, Zélia Ottoni, realiza palestras de conscientização. “Realizamos um trabalho de orientação sobre a doação voluntária de sangue através de divulgação de setor em setor ou de palestras, distribuição de folders, avisos pela internet, cartazes, dentre outros”, disse a assistente social. 

O estudante de engenharia elétrica, Rafael Abrantes, está cursando o 10° período e fez sua primeira doação de sangue. “O sentimento de saber que doando sangue irei contribuir para alguém é muito gratificante”, afirmou.

O funcionário do setor de serviços gerais do curso de engenharia, Paulo Roberto de Souza, contou que já realizou mais de 40 doações de sangue. “Meu objetivo é poder ajudar alguém. Enquanto eu puder doar vou continuar, porque é muito importante”, opinou.

Já para a estudante do 6° período de engenharia mecânica, Suzana Rodrigues, doar sangue é um ato simples que pode fazer a diferença na vida de alguém. “Apesar de não saber quem vai receber o meu sangue, é legal saber que vou ajudar uma pessoa que precisa”, finalizou.

Para o ano de 2013, o Hemocentro de Belo Horizonte planeja ampliar o atendimento das coletas exteriores para 100 candidatos a cada coleta; além de que, em um sábado por mês, o Hemocentro pretende atender nas cidades do interior.

Doação de Sangue (BOX)

Para doar sangue,o candidato deve comparecer ao local da coleta com documento de identidade oficial dentro do prazo de validade e com foto; ter entre 18 e 67 anos; pesar acima de 50 quilos; ter e estar com boa saúde; não exibir sintomas de gripe; não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido doença de chagas e não ter comportamento de potencial para doenças sexualmente transmissíveis. Jovens com 16 e 17 anos somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está acessível no site www.hemominas.mg.gov.br.

Para as instituições interessadas em realizar coleta de sangue em suas dependências, basta entrar em contato com a Fundação Hemominas mais próxima. A relação das unidades da Hemominas no Estado está site da Hemominas.

Advertisements