O governador Antonio Anastasia assinou, nesta quinta-feira (12), no Palácio Tiradentes, termo aditivo ao protocolo de intenções firmado com a Sul Americana de Metais (SAM), empresa do Grupo Votorantim, para investimentos na atividade de extração e beneficiamento de minério nos municípios de Grão Mogol e Padre Carvalho, no Norte de Minas. No denominado Projeto Vale do Rio Pardo, a empresa vai explorar minério de ferro gião e implantar usina de beneficiamento, mineroduto, duas barragens e sistema de irrigação.

Antonio Anastasia destacou que o empreendimento terá investimentos de R$ 4,2 bilhões e deverá gerar 2 mil empregos diretos e 9 mil indiretos no Norte de Minas, região que apresenta um dos mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH). O início das operações está previsto para 2015. O projeto está em fase de licenciamento ambiental. A expectativa é de que, durante a fase de implantação do projeto, sejam gerados 8 mil empregos diretos.

“Vamos continuar trabalhando para atrair empregos para Minas Gerais, nossa prioridade desde o primeiro dia de meu governo. O Norte de Minas é uma região com indicadores econômicos menores que o restante do Estado. Por isso, tem sido alvo e objeto de uma atividade articulada de desenvolvimento ao logo dos últimos anos, na infraestrutura física, na social, com melhorias das escolas, saúde pública, da segurança e, especialmente, da questão da energia, da água e das estradas. Por isso fico muito feliz com esse investimento expressivo”, afirmou.

Sonho antigo

O protocolo para a implantação do Projeto Vale do Rio Pardo foi assinado pelo Governo de Minas e a SAM em junho de 2010. Previa investimentos de R$ 3,2 bilhões e geração de 1.827 empregos diretos.  O termo aditivo amplia os investimentos e inclui a implantação de projetos hídricos que beneficiarão a região. A empresa propõe disponibilizar ao Estado 40% da água da barragem a ser construída no rio Vacaria para atender a comunidade local.

Segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira, o sistema de irrigação deve beneficiar 500 pequenas propriedades rurais, com cerca de 950 hectares de área total irrigada. “A barragem é um sonho antigo da região”, completou.

O governador Anastasia ressaltou que o projeto é positivo tanto do ponto de vista econômico, como ambiental e social. “Estamos diante de um grande projeto de mineração e também de um projeto fundamental de irrigação, que vai possibilitar às famílias terem a agricultura irrigada. Então, atendemos a questão ambiental, o fluxo dos cursos d’água estará regularizado, teremos as represas para o abastecimento de água e a irrigação para gerar renda para as pessoas”, disse.

Legado para região

O diretor-executivo da Sul Americana de Metais, Haroldo Fleischfresser, afirmou que a empresa sempre foi sensível à questão da água na região e que, com o compromisso de construir as barragens e o sistema de irrigação, a empresa estará atendendo os anseios sociais da região. “Além da geração de empregos diretos e indiretos que o projeto trará, gostaríamos de deixar um legado para a região de como se implantar um projeto de forma correta, responsável e que sirva de modelo para os novos projetos que sem dúvida vão aparecer na região”, afirmou.

O empreendimento no Norte do Estado consolida o surgimento de uma nova fronteira de mineração em Minas, com a viabilização da produção de minério de ferro de baixo. A reserva estimada é de 20 bilhões de toneladas de minério abrangendo 20 municípios, entre eles, Salinas, Rio Pardo de Minas, Grão Mogol, Porteirinha e Nova Aurora. Desde 2003, os investimentos anunciados em mineração somente no Norte de Minas somam R$ 8,6 bilhões, com a geração de 10.500 empregos diretos e 27.850 indiretos.

Sobre o projeto

Mina de minério de ferro – Investimentos de R$ 666 milhões para a implantação da mina, cuja conclusão está prevista para julho de 2015. Deverão ser criados 798 empregos diretos. A produção anual prevista é de 122 milhões de toneladas, quando atingir a capacidade operacional.

Planta de pelotização – Receberá investimento de R$ 2,7 bilhões, com geração de 989 empregos diretos. O objetivo da unidade de beneficiamento é elevar de 20% para 65% o teor de ferro do minério extraído na mina. A capacidade de produção é de 25 milhões de toneladas por ano de pellet feed (pelotas de ferro). Conclusão da obra, em julho de 2015.

Mineroduto – Serão investidos R$ 810 milhões na implantação do duto de 482 km de extensão que transportará a produção até o porto de Ilhéus, na Bahia. Serão criados 40 empregos diretos, e o corredor terá capacidade para transportar, anualmente, 25 milhões de toneladas de pelotas de ferro. O mineroduto passará por 21 municípios, sendo nove em Minas Gerais.

Barragem do rio Vacaria – Investimentos de R$ 46 milhões para construção de uma barragem de 30 metros e custeamento de desapropriações. A empresa se compromete a disponibilizar 40% do volume outorgável de água, para projetos do Estado e da iniciativa privada.

Barragem do córrego do Vale – Construção de pequena barragem próxima à cabeceira do Córrego do Vale, com retenção de água para regularização hídrica, atendendo à comunidade do Vale das Cancelas. Investimentos de R$ 6,12 milhões.

Irrigação – Será irrigada uma área de 950 hectares no município de Fruta de Leite, com investimentos de R$ 8,55 milhões para elaboração de projetos e fornecimento de equipamentos (kits de irrigação) para produtores rurais. A área mínima será de 2 hectares por produtor.

Advertisements