Nesta terça-feira (11), às 19h30, a Imprensa Oficial de Minas Gerais inaugura sua nova fachada, totalmente revitalizada, e abre ao público novidades como a Sala Multimeios, o painel e exposição do artista Fernando Pacheco, na sua nova galeria de arte, e o Memorial da Imprensa, que conta a trajetória da instituição e da impressão em Minas por meio de máquinas históricas.

As atrações fazem parte das comemorações de 120 anos da Imprensa Oficial. O prédio histórico no centro de Belo Horizonte foi totalmente revitalizado por meio da Diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, garantindo a preservação e conservação do prédio em seus traços históricos. Para fazer a pintura, foi utilizada a recém-patenteada tinta antipichação.

No prédio, a Sala de Dirigentes traz a fotografia e a minibiografia de todos os seus ex-diretores-gerais, desde a fundação da entidade em 189, até os dias atuais.

No mezanino acima da Sala de Exposição funcionará a Sala Multimeios, espaço dedicado à projeção de filmes, palestras, lançamentos de livros e outros eventos, como a Imprensa Musical, que traz apresentações de músicos da Polícia Militar de Minas Gerais tocando os grandes clássicos da música moderna nas janelas frontais da Imprensa.

Mais arte na Imprensa Oficial

Nos seus 120 anos, a Imprensa Oficial ganha também uma galeria de arte, que será inaugurada com o painel “Doce Música Mecânica”, concebido pelo artista plástico Fernando Pacheco. A obra, em seu título e concepção, homenageia Carlos Drummond de Andrade, ex-funcionário da casa, e Murilo Rubião, idealizador do Suplemento Literário, dentre outros intelectuais e escritores que atuaram e atuam na Autarquia.

Medindo 2,02 x 3,22 metros e feito com óleo sobre tela, o painel “Doce Música Mecânica”, perpassa toda a trajetória da Imprensa Oficial, apontando passagens históricas e poéticas, destacando os momentos mais representativos e marcantes da instituição.

O artista mineiro Fernando Pacheco também expõe, na nova galeria da Imprensa Oficial, a mostra “Alguma Pintura – A Cor da Palavra”, composta por 12 quadros em grandes formatos (óleo sobre tela), e 12 livros-objetos.

Memorial da Imprensa

Outra novidade é que a instituição abre as portas para contar sua história e a da impressão por meio de máquinas consideradas verdadeiras relíquias. No Memorial da Imprensa, estarão expostos ao público equipamentos utilizados nesta atividade nos últimos séculos.

Compõem o acervo máquinas de linotipos e equipamentos artesanais, utilizados nos primeiros anos da imprensa industrial, simbolizando a força da evolução de modelos produtivos, gradativamente substituídos pelo processo de evolução tecnológica.

Para o Diretor-Geral da Imprensa Oficial, Eugênio Ferraz, as ações inauguradas nesta terça-feira (11) marcam os 120 anos da instituição de forma significativa. “E estas são apenas algumas entre tantas outras programadas que culminarão com a consolidação de um Corredor Cultural centralizador e irradiador de cultura bem no centro de Belo Horizonte”, adianta.

Na avaliação do coordenador das Promotorias do Patrimônio de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais, Marcos Paulo de Souza Miranda, as iniciativas da Imprensa Oficial representam um ótimo exemplo de como os administradores públicos podem inserir o viés cultural em suas ações de gestão. “Quem sai ganhando, ao final, é a sociedade, que passa a ter a oportunidade de conhecer e valorizar nossas heranças culturais”, conclui o coordenador.